InícioYoutubeBlog

Paróquia de Santa Eufémia de Pinheiros

       Pinheiros, como Freguesia, engloba Pinheiros e Carrazedo, uma só freguesia, duas paróquias. Tem como interesse turístico o Cabeço das Pombas, com figuras rupestres, o seu Pelourinho, na praça, e, como momento mais importante da vida da comunidade, a romaria de Santa Eufémia.

       Os Censos 2001 mostram 199 cidadãos, população residente; 71 famílias clássicas, e 151 edifícios. Tem 8,21 Km2, de área, e a densidade populacional é de 24,2 hab/Km2.

 

       Pelos CENSOS 2011, verifica-se o decréscimo da população, registando-se 178 residentes, sendo 88 do sexo masculino e 90 do sexo feminino, distribuindo-se por 75 famílias clássicas.

HISTÓRIA:

       A povoação de Pinheiros é das mais antigas do Concelho, cujo Cabeço das Pombas materializa tal convicação. Teve foral novo, dado por D. Manuel I, em Lisboa, a 13 de Julho de 1514. Terá sido vila e sede concelho, sendo anexado ao antigo Concelho de Barcos, extinto pelos decretos de 10 de Outubro de 1844, e de 24 de Outubro de 1855. Nessa altura passou a pertencer ao Concelho de Tabuaço.

       Pinheiros, sede de "Concelho", existente no século XV, emglobou a sede e Carrazedo, também Vale de Figueira. Foi extinto em 1834.

       Como paróquia, era anexa de Santa Maria do Sabroso, desde o século XIV. Essa pertença está documentada também no século XVII. O pároco de então, Pe. Manuel da Cruz, em 1758, confirma a sede paroquial em Santa Maria do Sabroso, onde o pároco de Pinheiros vai celebrar Missa. Numa relação do século XVIII, verifica-se que a Paróquia de Pinheiros e a Paróquia de Carrazedo, se deslocavam em festa ao Sabroso, no dia de Santa Cruz.

       Nos fins do século, Pinheiros sob curato do reitor de Barcos e mais tarde, 1862, das freiras do convento do Coração de Jesus, em Lisboa.

       A padroeira, inicialmente, foi Santa Maria (do Sabroso), passando depois a ser Nossa Senhora da Conceição e, de seguida, Santa Eufémia.

       A Igreja Paroquial sofreu uma intervenção de fundo, no século XVIII (1719), sobre outra edificação já existente. O altar-mor é também deste século XVIII, em talha dourada da Renascença. O tecto da capela mor é formado por 20 caixotões. Tem duas torres sineiras. A imagem de Santa Eufémia, muito antiga, tem cerca de 80 cm de altura.

       Em 2003, sofreu obras de restauro e conservação, com intervenção na estrutura, reforçada, com novo telhado, novo tecto, alargamento da Igreja com uma capela lateral, onde se encontra o baptistério e a imagem de Santa Bábara, e que anteriormente era espaço de arrumação e de passagem para a sacristia.

       Imagens à veneração: no altar-mo encontramos Nossa senhora do Rosário, do lado esquerdo de quem entra, e São José, do outro lado. Nos altares laterais do transepto, Santa Eufémia, do lado esquerdo e o Sagrado Coração de Jesus. Nas peanhas individuais, na parede do lado esquerdo, Nossa Senhora de Fátima, e do lado direito, Santo António e São Sebastião. no Baptistério, a imagem de Santa Bárbara, a imagem do Menino Jesus, uma imagem miniatura de Nossa Senhora, e dois Anjos (Querubins). A rematar o arco cruzeiro, a imagem de São Miguel.

       No altar-mor, encontra-se duas pinturas murais, sobre a paixão de Jesus.

       Padroeira: Santa Eufémia.

       Festa: em honra de Santa Eufémia e de Santa Bárbara, nos dias 16 e 17 de Setembro. Com esta festa encerram-se as festas do Concelho de Tabuaço.

       Património Imóvel: Igreja Paroquial; Centro Paroquial; Capela de Santa Bárbara; alguns terrenos.

       Lista de Párocos:

(feita a partir dos Livros de Assentos Paroquiais, em nossa posse)

 

PárocosReferências em Livros de Assentos
   

 

1841

 Pe. António dos Santos Silva

14 de Março de 1841

28 de Janeiro de 1850

1851

1852

 Pe. António Ferreira Soares

4 de Junho de 1851

Março de 1952

1853

1856

 Pe. Manuel Loureiro Sobral Fiel

9 de Dezembro de 1853

3 de Março de 1856

 1857

 Pe. José Teixeira de Carvalho

2 de Novembro de 1857

1859

 Pe. Pedro Lopes Dias

7 de Julho de 1859

10 de Novembro de 1859

 1860

1862

 Pe. José Teixeira de Carvalho

21 de Novembro de 1860 

2 de Janeiro de 1862

 

 

1938

1943

 

Pe. Daniel da Costa

24 de Abril de 1938 

15 de Setembro de 1943

Simultaneamente pároco de Carrazedo.No livro Seminário e Seminaristas de Lamego, refere-se a ordenação do Pe. Daniel da Costa, no dia 29 de Junho de 1933, na Igreja Matriz de Castro Daire, de onde era natural.

1943

1945

 

Pe. Tobias Cerveira

6 de Novembro de 1943

30 de Dezembro de 1945

 Simultaneamente pároco de Carrazedo

 

 

1947

1976

 Pe. Armando Augusto Tomé

15 de Maio de 1947

6 de Novembro de 1976

       Natural de Vila Nova de Foz Côa, nasceu a 3 de Novembro de 1922 e foi ordenado sacerdote a 12 de Agosto de 1945. Com 87 anos, vive na sua terra natal.

       Durante 30 anos foi Pároco de Pinheiros, de Carrazedo e da Granja do Tedo, sendo também professor no Externado de Tabuaço.

 

1976

1996

Pe. Manuel Pinto Afonso

(Pe. Luís Ribeiro da Silva)

17 de Setembro de 1976

22 de Setembro de 1996

Sobre o Pe. Manuel Afonso clique aqui.

 

1996

 

1999

Pe. António José Lopes Regadas

Setembro de 1996

25 de Abril de 1999

       Natural de Barrô, concelho de Resende. Simultaneamente pároco de Tabuaço e de Pinheiros.

       Foi ordenado sacerdote no dia 10 de Agosto de 1996, na SÉ Catedral de Lamego.

1999

2000

  Pe. Luís Ribeiro da Silva 
Sobre o Pe. Luís, clique aqui!

 

2000

2001

 Pe. Fernando Albano Cardoso

Pe. Manuel Pereira Gonçalves

 

29 de Outubro de 2000,  dia da Tomada de Posse

Sobre o Pe. Albano, clique aqui.

 

2001

2005

 Pe. João Carlos Costa Morgado

Pe. Manuel Pereira Gonçalves

4 de Outubro de 2001, nomeação

21 de Outubro de 2001, Tomada de Posse

 Sobre o Pe. João Carlos, clique aqui.

 2005 – ...

 Pe. Manuel Pereira Gonçalves

  18 de Setembro de 2005



Domingo da Divina Misericórdia - II da Páscoa - ano A - 23 de abrild e 2017

1 – "Eu cá tenho a minha fé". Não é nada que não tenhamos ouvido uma dúzia de vezes. Alguém que não frequenta assiduamente ou simplesmente não participa na vida da comunidade, clarificando que tem fé mas a Missa ou as atividades pastorais não lhe dizem respeito, pois resolve a sua vida com ligação direta e exclusiva a Deus. Claro que...  VER +

Share